Calculando o custo horário de equipamento

custo-hora-equipamento

Para que o preço cobrado pelo aluguel de uma máquina ou ferramenta seja justo e não dê prejuízo, é necessário saber como calcular o valor da hora de maneira correta. Vários itens entram nesse cálculo, o que o torna algo um pouco complexo de fazer, porém de extrema importância.

Em geral, o custo horário é calculado pela soma do valor da depreciação, dos juros, dos pneus, do combustível, da lubrificação, do operador e da manutenção.

Comecemos pelos itens que são chamados de custo de propriedade: a depreciação e os juros. A depreciação é o valor que o produto perde após ser adquirido, devido a vários motivos como idade, obsolescência e desgaste. Para seu cálculo basta uma divisão da diferença entre o valor original de aquisição e o valor residual (valor final após a depreciação) pela vida útil em horas.

Os juros são o valor que o investimento (compra da máquina) renderia, caso fosse investido no mercado financeiro. Esse é calculado com base nas taxas de juros do mercado.

Em relação aos custos de operação: nessa categoria entram os pneus, combustível, lubrificação e a hora do operador. A mesma divisão feita na depreciação pode ser utilizada nos pneus, dividem-se os custos pela vida útil.

Os custos de lubrificação e combustíveis são variáveis, já que dependem das oscilações do mercado e do consumo de cada máquina. O ideal é observar as máquinas em operação para calcular quanto de cada produto elas utilizam, para depois dividi-los. Existem valores médios na TCPO (tabela de composição de preços para orçamentos), mas utilizá-los pode implicar em prejuízo, caso a máquina consuma mais que a média.

A hora do operador é calculada baseando-se no preço do salário e dos encargos sociais gastos.

A última categoria de custos são os de manutenção, nela enquadram-se várias atividades como limpeza, reparos, troca de peças, inspeções e afins. Para descobrir esses custos é melhor manter uma base de dados sobre manutenções realizadas e com qual periodicidade aconteceram e seus custos.

Também é importante incluir no custo hora, os valores de armazenagem (aluguel sobre o lugar de armazenagem), energia, custos administrativos e afins.

Sites como o Sobratema possuem estudos sobre pneus, material rodante e outros materiais que podem ser consultados e auxiliam na base de cálculo. Vale a pena dar uma olhadinha: https://sobratema.org.br/