O crescimento eminente da energia eólica

Nossos recursos naturais não são eternos nem tampouco obedecem às nossas vontades. A natureza tem seu ritmo biológico e este precisa ser respeitado. Interromper ciclos naturais visando nosso abastecimento enérgico é uma espécie de retrocesso que tende a desestruturar, por décadas, fatores climáticos que incidem na flora, fauna e modo de vida de várias gerações.

O uso da energia eólica comporta uma série de vantagens face às energias usuais. Essa opção de matriz energética é considerada fundamental para nossa evolução.

Nossos recursos naturais não são eternos nem tampouco obedecem às nossas vontades. A natureza tem seu ritmo biológico e este precisa ser respeitado. Interromper ciclos naturais visando nosso abastecimento enérgico é uma espécie de retrocesso que tende a desestruturar, por décadas, fatores climáticos que incidem na flora, fauna e modo de vida de várias gerações.

O uso da energia eólica comporta uma série de vantagens face às energias usuais. Essa opção de matriz energética é considerada fundamental para nossa evolução.

A atual dependência de fontes não renováveis como carvão, gás natural e petróleo envolve problemas de cunho ambiental, político e até militar. A revolução no setor de energia já deixou de ser opção. É preciso pensar de forma sustentável se quisermos um futuro melhor para nossos filhos e netos.

A principal vantagem do uso da energia eólica é que esta é inesgotável, ou seja, como é produzida a partir do vento, é regida por uma “matéria prima” abundante sem precedentes de extinção. Há ainda, muitos outros benefícios, tais como: o maior desenvolvimento econômico, respeito ao meio ambiente por não emitir gases, aumento da autonomia enérgica dos países, não geração de resíduos, redução da dependência de combustíveis fósseis, baixa manutenção, rápida instalação e recuperação dos investimentos, entre outros.

Considerada pela ONU como MDL – Mecanismo de Desenvolvimento Limpo – e tratada como prioridade na busca por incentivos da “economia verde”, a energia eólica ainda carece de investimentos no Brasil.

Nossa extensão territorial supera a da maior parte de países que lideram o ranking de produção eólica, nosso clima e outros aspectos geográficos também são pontos positivos. Atualmente, o Rio Grande do Sul é o líder de produção eólica no país, contudo, pesquisas e estudos apontam que a região Nordeste é a que possui o maior potencial.

O Brasil tem tudo para se tornar um dos líderes mundiais de produção eólica no mundo, apesar de estarmos no caminho certo, ainda faltam incentivos, políticas adequadas, leis e conscientização da população como um todo. Em meio à crise do petróleo e esgotamento de nossos recursos, optar por caminhos como esse, significa a garantia de um futuro mais seguro e menos imprevisível.